26 de jul de 2012

DIA DOS AVÓS



A palavra avô vem do latim avus que significa “pai do pai ou da mãe”. Hoje vendo essas homenagens nas redes sociais e matérias sobre os esses queridos nos portais de notícias me veio à lembrança dos meus avós paternos... Só tive a oportunidade de conviver com eles, já que minha avó materna faleceu quando eu ainda era bebê e meu avô abandonou a família e eu nunca o conheci. Mas o Vô Luiz e a Vó Lina foram figuras constantes e presentes até minha fase quase adulta.
O Vô era bravo, nos colocava de castigo quando necessário, e nunca gravava os nomes dos quase 20 netos, todos eram "menino". Ele madrugava para ir ao sítio buscar o leite para vender na cidade e ficava todo orgulhoso quando os netos queriam acompanhá-lo nessa labuta. Ele não nos deixava conversar enquanto estávamos à mesa do almoço ou da janta. Ele incentivava os netos a comer gemada, tomar leite com farinha e comer biscoito molhado no café. Ele tinha fama de mulherengo e não negava, mas dentro de casa ele era a autoridade... Ele sempre trazia frutas e verduras fresquinhas do sítio e deixava em cima da mesa da área lá dos fundos para quem chegasse se deliciar com as gostosuras. Ele nos emprestava a 'pampa' para passearmos pela cidade. Ele tinha a cadeira do vovô que todos os netos disputavam. Ele parava o sorveteiro que passava a tardezinha e comprava sorvete para todas as crianças que por ali estavam (netos e os filhos dos vizinhos)...
A Vó era a paciência em pessoa, falava baixinho, andava de devagarinho, fazia doces, bolos, pão, biscoito, pão de queijo, bolacha e rosca... Hum! Dá agua na boca só de lembrar. Ela sempre fazia um café à tardezinha para os netos e filhos que sempre por lá passavam para pedir a benção. Ela costurava e bordava toalhas de banho para todos os netos. Ela sempre usava suas economias para ajudar os filhos e os netos mais necessitados. Ela deitava com os netos e contava histórias quando íamos dormir lá. Ela esquentava tijolos e colocava nos pés na cama para nos esquentar do frio. Ela dormia no hospital com os netos quando ficávamos internados. Ela adorava contar as histórias de quando era moça lá no inteiror de Minas Gerais. Ela também adorava ensinar as netas a bordar, costurar e cozinhar, neta prendada era motivo de orgulho. Ela ficava feliz quando os netos a acompanhava nas missas ou nas procissões. Ela sofria calada pela fama do vô...
Os sentimentos de dor e tristeza nos apoderaram quando ambos partiram dessa vida, mas também os sentimentos de amor, carinho, orgulho, inspiração e admiração sempre estão presentes quando essas e outras lembranças nos vêm à mente.

30 de mar de 2012

PRESENTE DO DIA...


Quem mora nas grandes metrópoles e tem que usar condução diariamente já se deparou com aquelas pessoas que adoram puxar uma conversa no ônibus. Algumas pessoas não gostam muito de conversar nos coletivos, já outras adoram ficar ouvindo a conversa das pessoas ao lado, atrás ou na frente, mesmo porque, algumas nem fazem questão de manter a discrição. E outras não conseguem ficar cinco minutos sentadas sem abir a boca mesmo. Eu confesso que não gosto muito de papo no ônibus ou nas filas de espera. Mas essa semana a vida colocou do meu lado uma figura. Com alguns bancos vazios ele veio sentar-se justamente do meu lado e quando o motorista e cobrador fizeram um comentário mais alterado foi o estopim para a figura desparar a falar. Nem me recordo o comentário inicial, mas ele começou a falar que já tinha passado por aquilo... De ter apenas uma muda de roupa e era o que eles (ele e os irmãos) precisavam. A mãe lavava todo dia e secava no ferro para eles usarem no dia seguinte. Depois falou do primeiro ofício quando ajudava o pai a fazer ferradura. Acabava o dia supercansado, mas muito feliz porque estava ajudando o pai. Depois da vida profissional que começou numa empresa grande limpando banheiro, pois ia ter seu primeiro filho e queria mais era trabalhar e não se importava em limpar banheiro, pois tinha que comprar o berço, fraldas, mamadeira, leite... Depois se tornou técnico em mecânica sem nenhum estudo, apenas a quarta série, mas com a força de vontade aprendeu o oficio. Mas quando ficou responsável por quatro máquinas precisou estudar para aprender mais e estudou muito, com afinco, pois ele gostava do que fazia. Depois falou dos filhos, que nunca incomoda eles e os filhos ficam preocupados, pois o pai nunca pede nada. E ele falava que não pedia, pois não precisava de nada e sabe que agora os filhos tem suas obrigações, pois são pais de família... Por fim, ele me disse que nenhum trabalho é ruim desde que realizemos o trabalho com vontade e feliz. O ruim é ficar em casa sem trabalhar. Também afirmou que, se no mundo um ajudasse o outro o mundo seria melhor. E lembrou que uma única roupa, desde que seja limpa, é o essencial para sermos felizes... Quando chegou a hora dele descer eu me despedi: "Até logo. Tudo de bom para o senhor!" E ele já na porta para descer: "Pra você também minha filha. Boa Sorte!". Aquela foi a segunda "boa sorte" do dia que eu ganhei. E eu senti que esses desejos chegaram até a mim com muita, mas muita sinceridade. E acho que por fim a sorte acabou mesmo chegando até a mim...

28 de mar de 2012

MOMENTO ESTRAGA PRAZER

Era uma vez uma moça que foi se confessar. Quando decidiu pela confissão face a face com o padre ela se preparou, rezou, concentrou e enumerou seus pecados. Porém, quando chegou diante do sacerdote e começou a explanação sobre suas faltas e tudo aquilo que a incomodava percebeu que o padre não estava muito concentrado... E depois de mais ou menos uns 3 minutos o sacerdote que mal olhou nos olhos dela já absolvia a pobre pecadora das faltas cometidas. A moça saiu de lá pensando: "Meu Deus! Será que valeu essa confissão? Será que ele ouviu meus pecados? Ele nem conversou comigo. Mal olhou para a minha cara". Ela estava confusa, pois das últimas vezes que se confessou pareceu mais uma sessão de terapia, na qual ela falava, falava, falava e depois de muito ouvir o sacerdote também falava, falava e não esquecia de nehum pecado relatado pela pecaradora. E por fim, depois da absolvição sempe pedia para ela ler uma passagem da Bíblia. Dessa vez acho que o padre estava mais preocupado com as dezensas de pessoas que ainda estavam na fila para se confessar. Da próxima vez acho melhor essa garota reservar umas horinhas só pra ela ou voltar a fazer terapia...

8 de mar de 2012

DOZE MESES



Hoje um filme do dia 08 de março de 2011 ia passando pela minha mente. A cada hora do dia eu lembrava o que estava fazendo até receber a dolorosa notícia. Depois as pessoas que estiveram comigo. A longa viagem de volta. O reencontro com minha mãe e irmãos. A ida para o velório. A chegada do corpo. Todas a pessoas que me abraçaram. As homenagens e o enterro... Acho que era umas 18h quando fiquei sabendo que meu pai tinha partido deste mundo. E, geralmente, essa hora é dedicada a Ave Maria. Então, acredito que nessa hora meu pai já estava a caminho do encontro com a Nossa Mãe Querida. Ele que sempre foi devoto de Nossa Senhora Aparecida que rezava o terço todas as segundas-feiras, que fazia questão de sempre rezar o Terço da Boa Morte, acredito que ele estava preparado para a passagem, apesar de ter sido tão repentina. Um ano depois de toda aquela agonia, para nós, ainda parece que é mentira. Vejo as fotos e ainda não consigo acreditar. Relembro todos os momentos que vivemos esse um ano sem ele aqui e fico imaginando como seria se ele estivesse entre nós. A saudade dói demais e a vontade de ver, conversar, abraçar, beijar é tanta que parece nos sufocar. Um ano depois reconheço que agora está mais fácil de aceitar e compreender que ele cumpriu com maestria sua missão/passagem por aqui. Mas, também reconheço, que ainda é dificil conversar com ele como se ele não estivesse mais aqui, para mim parece que ele ainda está viajando. Reconheço que estou amadurecendo, mas também reconheço que ficaram muitas palavras por dizer e muito amor para demonstrar. Onde estiver sei que você sabe o quanto eu o amo e quanto sou grata por ter sido meu pai aqui na terra. Saudades e Amor Sempre!!!

3 de mar de 2012

DELÍRIOS...


Eu já bebi vodka;
Eu já bebi whisky;
Eu já bebi caipirinha;
Eu já bebi cerveja;
Eu já bebi conhaque;
Eu já bebi champagne;
Eu já bebi rum;
Eu já bebi tequila;
Eu já bebi gin;
Eu já bebi vermute;
Eu já bebi batidas;
Eu já bebi pinga;
Eu já bebi quentão;
Eu já bebi vinho;
Eu já bebi sucos;
Eu já bebi coquetéis;
Eu já bebi licores;
Eu já bebi energéticos;
Eu já bebi refigerantes;
...
Mas, para mim não há bebida melhor e mais saudável do que a velha e boa água, bem gelada.

21 de fev de 2012

UM DIA...


Um dia eu acordei e vi que gastei dinheiro que não tinha para agradar pessoas que não mereciam;
Um dia eu acordei e vi que não deveria ter feito aquela viagem;
Um dia eu acordei e vi que não deveria ter dito certas coisas;
Um dia eu acordei e vi que criei expectativas demais;
Um dia eu acordei e vi que ninguém muda ninguém;
Um dia eu acordei e vi que as pessoas estão onde devriam estar;
Um dia eu acordei e vi que estou arrependida de ter feito certas coisas;
Um dia eu acordei e vi que o príncipe virou sapo, ou melhor sempre foi é que eu estava dormindo demais para perceber... Pois é acordei, pois a vida continua...

15 de fev de 2012

MOMENTO ESTRAGA PRAZER


Sabem quem são verdadeiros estraga pazeres?
Pessoas sem educação que jogam papel na rua ou na calçada em vez de jogar no lixo;
Pessoas que gritam em vez de falar;
Pessoas que não escutam e só falam, falam, falam;
Pessoas que são negativas e que não conseguem enxergar um lado positivo em nada;
Pessoas que vivem com a cara fechada e não dão um sorriso;
Pessoas que não dão bom dia, não dizem obrigado e por favor;
Pessoas que brigam no trânsito e não dão passagem para o pedestre;
Pessoas que acham bonito falar palavrões;
Pessoas que não respeitam a vaga para deficientes e idosos;
Pessoas que sempre querem levar vantagens;
Pessoas que levam a vida muito a sério;
Pessoas que se acham donas da verdade;
Pessoas que não se amam e não conseguem amar o próximo;
...
Enfim, a lista aqui é enorme e eu ficaria a noite toda digitando..
Por isso, acredito que eu não sou tão estraga prazer assim.